quinta-feira, 6 de junho de 2013

DIA DO DESAFIO - JD I B




DIA DO DESAFIO - PROFESSORAS ANA CAROLINA E GARDÊNIA

Atividades do Jardim I B - Professora Ana Carolina

A TURMA TODA CAPRICHANDO NA ESCRITA DA LETRINHA "A"... 





E TAMBÉM JÁ CONHECEM A LETRA "B" E COM ELA FORMAMOS UMA BORBOLETA...




E TEM MAIS...



ESCOLHEMOS POR VOTAÇÃO, O CARRO, O NOSSO MEIO DE TRANSPORTE FAVORITO...MAS ESSA A TURMA "TIROU DE LETRA"...É A LETRA "C"...E TODOS DISSERAM: É O C DE CRISLAYNE...






segunda-feira, 3 de junho de 2013

"Aprendendo sobre as borboletas - metamorfose"


O Nascimento da Borboleta ou Ciclo de Vida da Borboleta é dividido em várias fases, tudo começa com o acasalamento entre a Borboleta macho e a Borboleta fêmea.
A Borboleta fêmea deposita os ovos na planta que servirá de alimento para a lagarta.
Cada espécie de Borboleta tem plantas específicas para a alimentação das lagartas, essas plantas são conhecidas como Planta Hospedeira.
No caso das Borboletas Monarcas, a Planta Hospedeira é a Serralha.
Após algum tempo, os ovos eclodem e deles saem as lagartas.
As lagartas então começam a comer a planta em que estão hospedadas. As lagartas comem muito, pois precisam acumular energia, a próxima fase é a pupa.
Depois de alguns dias a lagarta vai parar de comer e se transformar em pupa, as pupas se formam a partir do endurecimento do corpo da lagarta.
É nesse momento que a lagarta vai usar a energia acumulada para se
transformar em Borboleta.
Em alguns dias, as Borboletas nascem rompendo a camada da pupa. A Borboleta adulta viverá algumas semanas, tempo suficiente para se reproduzirem e garantirem o recomeço de todo o ciclo novamente.


Profª Aline Bezerra - jardim IB

Volpi - Bandeirinhas

VOLPI

Volpi nasceu em Lucca, na Itália, em 1896.
Mesmo tendo nascido na Itália, de onde foi trazido com menos de dois anos, Volpi é um dos mais importantes artistas brasileiros deste século.
Foi um pintor que inventou sozinho sua própria linguagem.
Isso é muito raro na arte produzida em países do terceiro mundo, cuja cultura sempre deve algo a modelos internacionais.

Filho de imigrantes, chegou ao Brasil com pouco mais de um ano de idade.
Foi decorador de paredes. Aos 16 anos pintava frisos, florões e painéis.
Sempre valorizou o trabalho artesanal, construindo suas próprias telas, pincéis. As tintas eram feitas com pigmentos naturais, usando a técnica de têmpera.

Foi um auto didata.
Sua evolução foi natural, tendo chegado à abstração por caminhos próprios, trabalhando e dedicando-se a essa descoberta.
Nunca acreditou em inspiração.
Na década de 40, abandonou a perspectiva tradicional, simplificou e geometrizou as formas. Mais tarde, chegou à abstração.
Seus gestos ficaram mais livres, dinâmicos e expressivos. A cor, mais vibrante.

Nos anos 50, as bandeirinhas das festas juninas, de Mogi das Cruzes, integraram-se às suas fachadas.
A partir da década de 60, todos os temas são deixados de lado e as bandeirinhas passaram a ser signos, formas geométricas compondo ritmos coloridos e iluminados.

Morreu aos 92 anos, em 1988, em São Paulo.
Volpi nunca se naturalizou, mas seu coração era brasileiro.

TREM DE FERRO - MANUEL BANDEIRA

Castelo Rá Tim Bum: Trem de Ferro - Manuel Bandeira